Biografia de Simón Bolivar

A história da América Latina está guardada na memória de todos os povos, especialmente daqueles corajosos que lutaram e deram suas vidas, com sucessos e fracassos, para ver triunfar os valores da liberdade, da igualdade e da revolução. Sem dúvida, um dos mais importantes heróis americanos foi e sempre será Simón Bolívar, nascido no atual território da Venezuela, região que até então fazia parte do império espanhol.

Um destino marcado pela valentia e a história

Da mesma maneira que aconteceu com os grandes líderes e próceres da revolução no início do século XIX na América, a origem de Simón Bolívar esteve vinculada à alta aristocracia de Caracas, cidade natal deste grande homem, em 1783. Naquela época, a atual capital venezuelana fazia parte dos territórios dominados pela Espanha. Seu nome completo era Simón José Antonio da Santíssima Trindade Bolívar Ponte e Palácio Blanco, algo extremamente normal nas aristocracias americanas.

Apesar da boa condição econômica de sua família, a doença ocasionou duros golpes à vida de Simón, que não chegou a conheceu realmente seu pai devido ao mesmo ter morrido quando ele tinha apenas dois anos de idade.

Sete anos depois perdeu sua mãe e inclusive ele mesmo sofreria indícios de tuberculose, doença que afetaria sua saúde por toda a vida.

A morte de seus pais e os arranjos familiares para cobrir a custódia de Simón e seus quatro irmãos resultaram em uma infância e juventude de incerteza para o futuro herói, tendo que passar por várias casas e lares até tornar-se adulto e começar sua vida independente.

Aos 19 anos, iniciou um namoro com Maria Teresa Rodríguez del Toro e Alayza, que mais tarde se tornaria sua primeira esposa e morreria logo após o casamento.

A política como via de fuga e um destino honroso

A enorme tristeza que esta situação trágica deixaria em Simón fez com que ele buscasse remédio em diferentes tipos de atividades. A participação política em Caracas foi canalizada rumo à luta pela independência da América, algo que em décadas atrás nem sequer figurava na agenda das cidades americanas. A queda do rei espanhol diante dos franceses e sua prisão em 1808 foram o terreno fértil para que os territórios americanos começassem a perguntar o que fazer com seu futuro.

A partir de então até sua morte em 1830, Simón Bolívar dedicou sua vida à causa da revolução, sendo diplomata assim como militar e político.

Sua clara visão sobre a estratégia militar lhe permitiu avançar sobre os territórios em mãos realistas e até mesmo projetar uma campanha de ataque ao poder espanhol juntamente com o libertador San Martin, assumindo o comando do exército quando este decidiu retirar-se da guerra

Os fracassos de suas ideias e desejos o levaram a isolar-se por algum tempo na Jamaica e no Haiti em 1815. Pouco tempo depois retornou para o continente com a coragem de dar um fim ao poder espanhol. Sua atuação como governador do Peru e de outros territórios lhe rendeu o desagrado de muitos setores, inclusive com tentativas de assassinato em numerosas ocasiões.

Faleceu finalmente em 1830 por causa da tuberculose, embora a razão exata de sua morte seja duvidosa até hoje.

Arte Fotolia: Pixs, Toniflap

> Proximo >>>

Buscador