Biografia de Sigmund Freud

Responsável por uma das transformações mais importantes e profundas na compreensão da psique humana e de sua natureza, Sigmund Freud é lembrado hoje como um dos estudiosos mais renomados da Psicologia. Seus princípios a respeito da personalidade e de como a mesma tinham a ver não só com as estruturas físicas ou anatômicas lhe permitiram romper com as visões do século XIX que falavam de doenças corporais frente às complexidades da saúde mental.

Destaca-se em um mundo complexo

Sigmund Freud nasceu no ano de 1856, na cidade de Pribor, atualmente território austríaco. Sua origem se deu no seio de uma família de origem judaica com certas dificuldades financeiras, mas que podia sustentar-se e incentivava tanto ele como seus irmãos a estudar e dedicar-se às tarefas escolares. Sendo ainda muito pequeno, a família inteira decidiu mudar-se para Viena em busca de uma vida mais digna e uma melhor situação financeira.

A família Freud não era particularmente ortodoxa em seus vínculos com o judaísmo, mas incentivava seus filhos a serem profissionais e responsáveis. Assim, Sigmund se propôs a estudar medicina na prestigiosa Universidade de Viena e ali teve que enfrentar pela primeira vez a discriminação antissemita em sua vida. Isso dificultou seu progresso na carreira, mas seu talento e sua inteligência lhe ajudaram a destacar-se rapidamente.

O desenvolvimento de uma nova teoria

A importância de Freud para a história foi seu trabalho relacionado à psique humana. Freud falou da conduta humana como um aspecto que podia ser analisado e trabalhado por separado do campo anatômico ou fisiológico. Assim, postulou a centralidade do inconsciente da psique, uma instância de nossa mente até o início do século XX pouco conhecida que foge do consciente e que muitas vezes influencia nosso comportamento, mas que não podemos notá-la de forma racional.

Em sua explicação sobre o inconsciente, Freud falou de três áreas que denominou como "id", "ego" e "superego"

Enquanto a primeira supõe o instintivo e os impulsos, a última é a presença da moral e da repressão desses impulsos; já o ego atua como um mediador entre ambas e seria, em outras palavras, a própria consciência. Seus estudos também tratam sobre a sexualidade, os tabus, os sonhos e as ligações entre o indivíduo e seus progenitores.

Através de Freud, credita-se o nascimento da psicanálise, uma técnica de terapia que consiste em ouvir uma pessoa e sua história de maneira autônoma para encontrar o problema do mesmo, através da sua própria história, de seus traumas, ilusões, elementos inconscientes, etc.

Freud morreu em 1939 devido a um câncer de laringe. Na época de sua morte, suas obras e livros foram proibidos em sua terra natal porque o governo nazista (que havia se aliado a Áustria) considerava-o um perigo e uma ameaça para a sociedade ariana. No entanto, seu legado permanece até hoje e é sem dúvida um dos cientistas da mente humana de maior êxito.

> Proximo >>>

Buscador