Biografia de Sharon Edith Bermeo

Em sua curta carreira artística que terminou abruptamente após um provocado acidente de trânsito que pôs fim a sua vida aos 40 anos, já havia triunfado na música, na televisão, no mundo empresarial e até mesmo no coração de muitos homens, deixou uma marca inapagável que inclusive potencializou o significado de seu pseudônimo: a Feiticeira, escolhido devido a seu fanatismo pela série norte-americana “A Feiticeira” transmitida entre os anos sessenta e setenta.

Pressentindo sua morte precoce, fez de tudo rapidamente no meio artístico equatoriano, que até hoje não a esquece...

De alguma maneira e respeitando as devidas proporções foi quem ocupou o lugar vago como estrela da tecnocumbia após a também morte precoce da cantora Selena sob as mãos de uma fanática e parceira que a assassinou à queima-roupa.

Ao sucesso da tecnocumbia, gênero nascido no México como desprendimento da cumbia mexicana, acrescentou como marca pessoal o uso de uma vestimenta clássica desse gênero, mas com detalhes sexys.

Nasceu em 1974, em Guayaquil, no Equador, e até sua morte foi uma celebridade idolatrada em sua pátria e por seus compatriotas que viviam no exterior, entre os quais realizou diversas apresentações internacionais muito convincentes.

Entre suas inclinações artísticas, que despontaram desde cedo, acrescentou sua paixão pela prática do basquete e o estudo de licenciatura em comunicação.

No final dos anos noventa, aventurou-se na música, uma área da qual editou cinco álbuns e em 2003 se consagrou na televisão com o romance A Feiticeira, sendo um sucesso estrondoso

Trabalhou também como apresentadora de televisão, participou de reality shows e até mesmo criou sua própria marca de lingerie.

De seu primeiro casamento com o cantor Eduardo Gray nasceu Samantha, que seguiu seus passos profissionais e atualmente é uma cantora e atriz muito popular no Equador.

Participou de diversos programas como atriz, apresentadora e inclusive protagonizou sua própria mãe, quando tinha sua mesma idade, para uma série televisiva feita sobre ela e que foi ao ar em 2018: Sharon, a feiticeira.

Depois de outro relacionamento, nasceu Bryan, que tinha nada mais nada menos do que dois anos quando presenciou a morte de sua mãe.

Foi em 4 de janeiro de 2015 após uma exaustiva turnê de apresentações pelo seu país que estava em seu automóvel junto de seu marido e filho voltando para casa e em determinado ponto da viagem foi atingido por outro veículo

Após a comoção de sua morte, as investigações policiais noticiaram outro choque: seu marido foi considerado o responsável direto pela tentativa de assassinato e sentenciado a cumprir 26 anos de prisão após ser comprovado que a empurrou para fora do carro no meio de uma forte discussão e que causou o atropelamento de Sharon.

Os primeiros a culpá-lo pela morte da esposa foi sua própria família: seu irmão e sua filha.

> Proximo >>>

Buscador