Biografia de São Martinho de Porres

Trata-se de um dos santos latino-americanos mais venerados em sua terra natal, o Peru, nos países vizinhos e em outros tantos de grande fervor católico que conheceram sua história de vida única e valiosa.

Propagou a caridade, a humildade, o amor ao próximo e a assistência aos doentes e pobres; tudo isso ratificado por seu próprio exemplo, não apenas com a manifestação verbal.

Integrou a Ordem dos Dominicanos e hoje é um de seus símbolos

Fundada no século XIII, a Ordem Dominicana é uma das maiores ordens mendicantes do mundo, fundada pelo religioso espanhol Domingo de Guzmán, na organização de uma cruzada em Toulouse, na França.

Sua origem misturou raízes espanholas e negras, seu pai foi um nobre espanhol que se estabeleceu no Peru e em Guayaquil, onde conheceu sua mãe, uma negra livre e oriunda do Panamá.

O casal teve Martinho, nascido no Vice-reino do Peru em 1579, e uma filha, embora seu pai não os reconhecesse de imediato e fossem criados por sua mãe com absoluta devoção religiosa e na pobreza.

Consciente de tantas carências econômicas seu pai decidiu reconhecê-los, mas experimentaram na própria carne a discriminação e os maus-tratos sofridos pela raça negra da época.

Trabalhou como barbeiro e cultivava as plantas que utilizava para suas medicinas.

Sua inclinação religiosa, estimulada por sua mãe, fez com que finalmente decidisse pela carreira sacerdotal e assim ingressou na Ordem dos Dominicanos

Dedicou-se a realização dos trabalhos mais humildes relacionados à limpeza e higiene do convento e, em 1606, quando foi admitido formalmente pela ordem, fez seus votos de castidade, pobreza e obediência.

Junto de seu compromisso para com aqueles em situação de vulnerabilidade que demandavam sua ajuda, desenvolveu um intenso trabalho de evangelização na comunidade indígena.

A opressão e a miséria da qual viviam as comunidades oriundas da região eram deploráveis, no entanto, era admirado e querido tanto pelos ricos como pelos mais pobres, conseguiu fazer com que os mais abastados pudessem ajudar os mais necessitados.

Com o dinheiro arrecadado das doações, criou um asilo escola cuja missão era dar moradia digna e estudos para a população mais miserável

Faleceu no Peru, em novembro de 1639, sua morte foi lamentada por toda a cidade que chorou profundamente sua perda e lhe rendeu muitas homenagens.

Sua fidelidade a Deus, sua ação missionária e ajuda aos pobres lhe abriram claramente as portas do céu, ainda mais, seus milagres realizados em vida lhe abriram caminho para a santidade, concedido pela Igreja Católica.

Foi beatificado pelo papa Gregório XVI e canonizado pelo papa João XXIII em 1962

Entre os milagres atribuídos a ele podemos destacar: os dons sobrenaturais de poder estar presente em dois lugares ao mesmo tempo, cura, vidência, levitação, todos usados para as causas mais nobres.

> Proximo >>>

Buscador