Biografia de Ramsés II

Há 3300 anos vivia no Egito um dos faraós mais famosos, Ramsés II. Governou durante 65 anos aproximadamente e no final de seu reinado se autoproclamou um deus vivo.

Pertencia à XIX dinastia, cujo fundador foi seu avô Ramsés I, que foi sucedido por seu filho Seti. Nos restos arqueológicos conservados há muita informação sobre o seu legado.

Principais marcos de seu reinado

O todo-poderoso monarca foi educado para exercer as funções de um faraó. Ramsés II sabia que o poder político seria eficaz desde que tivesse o controle militar sobre suas fronteiras. Assim, acredita-se que conseguiu derrotar os hititas na batalha de Qadesh, o primeiro confronto militar que há registros históricos.

Não se deve esquecer, por outro lado, que alguns historiadores revelam que a batalha de Qadesh foi vencida pelos hititas. Em suma, não se sabe ao certo quem ganhou a ilustre batalha. Dizem que o exército de Ramsés foi realmente derrotado pelos hititas, mas a história foi manipulada, isso revela outra questão: os dotes do faraó como propagandista político.

Após o episódio de Qadesh, o faraó nomeou seus filhos como chefe do exército. Por outro lado, para manter seus domínios territoriais organizou um corpo mercenário formado por estrangeiros. Durante seu reinado, os antigos egípcios fundaram colônias nas costas da Líbia e no território do Sudão, ao sul do Egito.

Além de suas conquistas militares, o faraó promoveu a construção de grandes obras públicas, templos e edifícios religiosos. Com esta iniciativa é muito provável dar-se bem com a poderosa casta sacerdotal. Há duas construções que se destacam sobre as demais: o templo de Karnak e os templos de Abu-Simbel.

Nefertari foi uma das esposas oficiais do faraó

Os egiptólogos afirmam que Ramsés II e sua esposa Nefertari foram muito apaixonados. Nefertari morreu muito jovem por causa uma doença rara. A esposa do faraó também tinha habilidades políticas, uma vez que desempenhou um papel de destaque nas negociações de paz com os hititas.

Há evidências históricas sobre o faraó: a monogamia não era uma de suas inclinações. Calcula-se que teve um pequeno grupo de esposas principais, outras secundárias e centenas de concubinas a seu serviço. No ano 33 de seu mandato, casou-se com uma princesa do povo hitita e desta maneira selou a paz entre os dois povos.

Dizem que Ramsés II era um governante soberbo e cruel com seus inimigos. De acordo com a maioria das fontes paleográficas, Ramsés II descrevia a si mesmo como o filho do deus Amon-Ra.

A múmia do faraó

O anatomista e egiptólogo australiano Grafton E. Smith foi o primeiro pesquisador a decifrar os restos mumificados do faraó.

Algumas referências são conhecidas sobre sua aparência: tinha uma estatura incomum para a época (1,90), era forte, tinha uma cabeça alongada, seus olhos eram pequenos e seu cabelo era vermelho.

Os estudos realizados revelam que ultrapassou os 90 anos.

Os especialistas em medicina forense afirmam que o faraó sofria com os efeitos da artrose e teve problemas com os dentes.

É bem provável que para aliviar a dor tomava infusões de folhas de salgueiro.

Arte Fotolia: matiplanas, teresahubble

> Proximo >>>

Buscador