História de Poseidon (Netuno)

Retratado sempre com um tridente, Poseidon (o Netuno romano) era o deus dos mares e dos terremotos para os gregos antigos.

Poseidon era um dos irmãos de Zeus (este que foi libertado do ventre de seu pai Cronos, que o havia engolido junto Poseidon e seus outros irmãos).

Depois de derrotar os Titãs, os deuses dividiram os domínios do mundo, sendo Poseidon responsável por governar os mares

Como nenhum dos três poderia adjudicar-se da terra, dividiram os domínios, dando a Poseidon a capacidade de fazer a terra tremer. É por isso que ele também é o deus dos terremotos.

Os marinheiros realizavam sacrifícios em sua homenagem para que recebessem um mar calmo em suas viagens. Era o patrono e um dos deuses mais venerados de muitas cidades gregas.

E isso aconteceu naturalmente se levarmos em conta que os gregos se expandiram pelo Mediterrâneo, fundando inúmeras cidades que iam da Península Ibérica até a Ásia Menor. O comércio que praticava com fenícios e egípcios era também altamente desenvolvido, consequentemente as rotas marítimas eram essenciais.

Um dos fatos mitológicos mais conhecidos da vida de Poseidon é sua competição pelo patronato de Atenas

Esta que foi ganha por Atena, que fez crescer uma oliveira, enquanto Poseidon fez brotar uma fonte de água salgada. A árvore dava comida, mas a água salgada era intragável, então, para a vida da cidade a oliveira era muito melhor.

Na Odisseia, é responsável pela longa jornada de Ulisses em seu retorno a Ítaca.

Ulisses desafiou os deuses e, ao viajar pelo mar, viu Poseidon deixar claro "quem manda" enviando uma aventura após outra durante um período de dez anos e que deve ser somado aos dez anos da Guerra de Tróia.

Outro episódio digno de ser mencionado foi a construção das muralhas de Tróia, que daria a esta cidade asiática um aspecto de invencibilidade e que tanto trabalho daria aos aqueus durante a guerra homônima

Poseidon teve várias amantes, mas nunca se casou. Como todos os deuses gregos, foi pai de muitos heróis. Seus descendentes nem sempre eram humanos e por isso é considerado o pai dos golfinhos e das focas, seres que concebeu junto com uma nereida chamada Anfitrite.

Sua relação com Apolo (deus da beleza) foi especialmente atrativa e prazerosa.

Uma prova de devoção a Poseidon são as diversas fontes encontradas em muitas cidades do mundo, como em Madrid, na Espanha, sede das comemorações de uma das principais equipes de futebol da capital espanhola (neste caso, a fonte leva o nome do deus romano equivalente).

> Proximo >>>

Fotolia. (em ordem de apariçâo)
Bogadeva1983 - Ritu Jethani


Buscador