Biografia de Paulo de Tarso

Há dois personagens que são primordiais para a primitiva fé cristã e para a organização que mais tarde dividiria a igreja em duas partes: São Pedro e São Paulo. No presente artigo vamos estudar a biografia e o papel histórico do segundo.

Paulo de Tarso, nascido como cidadão romano com o nome de Saulo Paulus, é um dos personagens principais na fundação do Cristianismo como uma nova religião no lugar de mais um ramo do Judaísmo.

Nascido entre 5 e 10 d. C, em Tarso, cidade pertencente ao Império Romano e que se encontra atualmente na costa sul mediterrânea da Turquia, no seio de uma família judaica. Seu nascimento em uma cidade romana explicaria o porquê, apesar de ser filho de judeus, tinha a cidadania romana, o que hoje equivale à nacionalidade; um caso parecido de quem nasce hoje nos Estados Unidos e é filho de imigrante.

Tarso era uma cidade comercial e cosmopolita, e se acrescentarmos que Paulo estudou quando jovem em Jerusalém, segundo afirmam várias fontes (embora não seja possível especificar quantos anos tinha quando isso aconteceu), podemos explicar que falava aramaico e grego (linguagem da cultura na época).

Apesar de ter sido contemporâneo de Jesus Cristo, não há evidências que ele conhecesse o Mestre, embora mais tarde abraçasse sua fé. Não há menção sobre sua ampla relação epistolar, algo que devido à sua importância, sem dúvidas, seria mencionado em algum momento, ao menos que quisesse ser escondido deliberadamente e do qual não existia nenhum motivo.

Foi em Jerusalém que entrou em contato com grupos de seguidores de Jesus e a partir daí se interessaria no que ainda não era uma nova fé, mas que para Paulo já era

É interessante que Jesus não pregou uma nova religião, mas sim uma verdade revelada aos judeus: a vinda do Messias que tanto desejavam (e continuam esperando).

De acordo com a tradição cristã, antes de sua conversão, Paulo se envolveu ativamente na perseguição dos seguidores de Jesus. Sua conversão à nova doutrina pregada chega a ele através de uma experiência mística - segundo a tradição - que experimenta em seu caminho à Damasco.

Paulo deixará de ser um perseguidor para ser perseguido como um dirigente da nova fé.

Há registros documentais que, mesmo sem conhecer Jesus, Paulo teve contato com os apóstolos que lhe transmitiram os ensinamentos e as mensagens de seu Mestre

Paulo inicia seu ministério na Arábia, mas logo vai pregar na Anatólia (atual Turquia) e na Grécia. A novidade de sua contribuição é que não se limita a pregar somente entre os judeus, mas sim entre todos, inclusive os gentios (aqueles que não professam a religião de Abraão).

Até o próprio Jesus havia limitado suas pregações aos judeus, não excluindo ninguém, mas também não direcionando abertamente a todo mundo.

Paulo prega sem distinguir judeus de gentios, uma verdade revelada ao mundo inteiro, assim como para a humanidade. Isso fará com que, das pregações de um mestre judeu, passe para uma religião universal capaz de atravessar barreiras culturais e linguísticas.

Outro aspecto importante de Paulo é sua correspondência com as comunidades cristãs primitivas, solucionando dúvidas e respondendo a perguntas.

Esta correspondência criará um corpus da qual a igreja primitiva será baseada para perfilar a doutrina cristã.

Por volta de 65 a. C. Paulo foi preso em Jerusalém por uma disputa teológica e levado à Roma

Na cidade eterna, parece que Paulo passou cerca de dois anos em liberdade condicional (havia apelado a César e estava esperando que a justiça desse um veredicto sobre seu caso). Isso lhe permitiu realizar conversões à nova fé na capital do império.

Sua morte, em 67 d. C., durante o reinado de Nero, foi por decapitação.

Paulo é um dos pilares fundamentais, dos quais sem ele não poderíamos entender o Cristianismo atual.

> Proximo >>>

Buscador