Biografia de Mercedes Sosa

Conhecida como "A Voz da América" e "A Negra Sosa", esta majestosa cantora é uma das referências mais importantes do folclore argentino em todo o continente. Dedicou sua vida inteira à música e à luta por suas convicções políticas, Mercedes Sosa se tornou rapidamente uma das cantoras mais respeitada e ouvida pelos argentinos, que viam nela a encarnação da arte e da beleza.

Um Tucumán que deu ao país uma voz memorável

Nascida na província de Tucumán, Mercedes Sosa soube como viver seus primeiros anos em uma família de origem trabalhadora, sendo seu pai operário de um engenho de açúcar e sua mãe uma dona de casa e lavadeira. Isto sempre marcou o perfil da Mercedes, que se reconheceu como parte do povo trabalhador da qual se entregou à sua luta e suas canções. Apesar de sua família ser fortemente peronista, Mercedes se interessou desde jovem aos partidos da esquerda e desde então é lembrada por sua filiação ao Partido Comunista.

Desde pequena seu interesse pela música se tornou um talento e isso rapidamente a levou a ser convidada para eventos, festivais e festas folclóricas, da qual começou a destacar-se por sua linda voz e as belas interpretações de canções tradicionais do gênero. Sua ascendência indígena, com o próprio sangue diaguita, fez sentir cada uma destas interpretações como algo pessoal e assim conseguia comover multidões.

O sucesso chega e as dificuldades da vida também

Depois de ser deixada junto com seu filho pelo marido, Mercedes ressurgiu da terrível dor viajando para Buenos Aires. O objetivo era poder participar de shows e festivais a partir de um lugar com maior visibilidade. Assim, conseguiu conectar-se com novos colegas musicais na capital do país e gravar seu segundo disco com melhor tecnologia e qualidade. O maior festival do país, Cosquín, recebeu a Mercedes com imenso amor por parte do público, mas com certa desconfiança e discriminação por parte dos organizadores. O sucesso do seu primeiro show em 1965 a consagraria como uma das estrelas do gênero para sempre.

Mas todo sucesso vem sempre com alguma dor, foi assim quando estourou o último golpe de Estado no país teve que superar todo tipo de perseguição e ataque devido à sua filiação política e origem indígena.

Em 1979, decidiu exilar-se para voltar quatro anos depois com a recuperação da democracia. Foi a partir desse momento que se tornou referência máxima da música popular no interior do país, levando sua voz, suas melodias e sua arte por todas as cidades e povos da nação.

> Proximo >>>

Buscador