Biografia de Madre Teresa de Calcutá

Madre Teresa nasceu em 1910 e morreu em 1997. Foi uma freira católica romana que serviu aos pobres e aos mais necessitados durante toda sua vida ao redor do mundo. Passou muitos anos em Calcutá, na Índia, onde fundou as Missionárias da Caridade, uma congregação religiosa que tinha como objetivo ajudar aqueles que precisavam de cuidados especiais.

Em 1979, Madre Teresa ganhou o Prêmio Nobel da Paz e se tornou um símbolo do trabalho voluntário e de caridade. Foi beatificada em 2003, dando assim o primeiro passo para o caminho da santidade, dentro da Igreja Católica.

Pouco se sabe sobre sua infância, mas de pequena sentiu um chamado para tornar-se freira e servir aos pobres. Quando cumpriu 10 anos, recebeu a permissão para integrar-se a um grupo de freiras na Irlanda. Depois de alguns meses de educação com as Irmãs de Loreto, viajou para a Índia e fez votos religiosos formais, mudando seu nome para Santa Teresa de Lisieux, a santa padroeira das missões.

Uma professora da vida

Após sua chegada à Índia, começou a trabalhar como professora, mas a enorme pobreza de Calcutá logo lhe causou uma profunda impressão. Foi aí que criou a ordem das Missionárias da Caridade, cujo propósito era cuidar das pessoas. Madre Teresa sentia que servir aos outros era uma das principais essências das instruções de Jesus Cristo.

Sofreu dois períodos traumáticos durante sua estadia em Calcutá. Primeiramente foi a Fome de Bengala, em 1943, e em seguida os atos violentos por parte de índios e muçulmanos. Em 1948, deixou o convento para viver entre os pobres de Calcutá em tempo integral. Durante muitos anos, Madre Teresa e um pequeno grupo de freiras sobreviveram com um salário mínimo e comida precária. Felizmente, seus esforços para com os pobres começaram a ser destacados e valorizados pela comunidade local e políticos indianos.

Abriu sua primeira casa para os moribundos em 1952, onde permitia que as pessoas morressem com dignidade. Alguns criticavam a falta de atendimento médico adequado, já outros defendiam que muitas pessoas rejeitadas tiveram a oportunidade de morrer sabendo que alguém se importava com elas.

Com o tempo o trabalho cresceu. As missões começaram a ser internacionais e pelo ano de 2013 havia 700 missões operando em mais de 130 países. Seu trabalho se expandiu podendo construir orfanatos e hospitais para doentes terminais.

Reconhecida e valorizada em todo o mundo

Ganhou inúmeros prêmios, tais como o Prêmio da Paz Papa João XXIII e o Prêmio Kennedy em 1971. Um ano mais tarde, ganhou o Prêmio Nehru pela promoção internacional da paz e da compreensão. Obteve o Prêmio Nobel da Paz em 1979 e de Cidadã Honorária dos Estados Unidos em 1996, entre outros.

Durante seus últimos 20 anos de vida, Madre Teresa sofreu com vários problemas de saúde, mas nada lhe impediu de continuar cumprindo sua missão de ajudar os mais necessitados. Permaneceu ativa viajando pelo mundo com as Missionárias da Caridade até seu último respiro.

O papa João Paulo II beatificou Madre Teresa de Calcutá em Outubro de 2003.

Imagem 1 por Fotolia Dannywilde. Imagens 2 e 3 por iStock: Ababsolutum, Pavliha

> Proximo >>>

Buscador