Biografia de Isaías

Foi um dos profetas de Jeová e escreveu um dos livros do Antigo Testamento, o livro de Isaías. Sabe-se que ele viveu em Jerusalém, capital de Judá, era filho de Amoz, primo de Ozios e pai de dois filhos: Sear-jasub e Maher-salal-hasbaz.

Segundo a cronologia bíblica, sua obra profética e seu papel como assessor dos monarcas de Judá duraram mais de quarenta anos ao longo do século VIII a. C. Como mencionado na Bíblia, Isaías morreu martirizado, pois seu corpo foi partido em dois com uma serra de madeira.

Como os demais profetas do Antigo Testamento, Isaías recebeu uma missão divina: falar de Deus aos homens.

Um dos mensageiros de Jeová

As palavras de um profeta adquirem relevância quando os acontecimentos anunciados são cumpridos. No caso de Isaías, várias profecias foram definitivamente realizadas: a queda do reino do norte de Israel, a destruição da cidade de Jerusalém, a conquista da Babilônia e, mais do que especialmente, a chegada do Messias.

O livro de Isaías é considerado uma pequena Bíblia

O livro é composto por 66 capítulos e este número coincide com o número de livros que compõem a Bíblia (no Antigo Testamento existem 39 livros e no Novo Testamento 27).

Nos primeiros capítulos é descrita a futura destruição de Jerusalém, que ocorreria como consequência dos pecados de seus habitantes. No capítulo 6 faz referência ao convite que recebeu de Jeová para ser um dos seus mensageiros. Em vários capítulos há declarações contra os babilônios, uma vez que estes davam um tratamento cruel ao povo escolhido por Deus.

Em outros episódios aparecem atos de infidelidade protagonizados pelo povo de Israel, que buscavam a proteção de Assíria em vez de procurar a ajuda de Deus

Como previsto pelo profeta, os pecados do povo de Judá provocaram a destruição de Jerusalém e os judeus foram expulsos para a Babilônia.

Ainda mais, Isaías profetizou valiosas informações sobre o Messias, pois afirmou que nasceria de uma virgem, que viria da linhagem do rei Davi, que viveria na Galileia e curaria os doentes.

Por último, em seu livro, lembrou que muitos israelitas não aceitariam o Messias e o considerariam um impostor.

Tanto Jesus Cristo como seus apóstolos mencionaram suas profecias em inúmeras ocasiões e desta maneira reivindicaram a figura de Jesus como o autêntico Messias.

O próprio Jesus lembrou as palavras do profeta e na sinagoga de Nazaré disse que a mensagem de Jeová é sempre cumprida (Isaías 61: 1, 2).

> Proximo >>>

Fotolia. (em ordem de apariçâo)
Renata Sedmakova


Buscador