Biografia de Carlos V

Foi o personagem político exclusivo durante todo o século XVI por causa dos vastos territórios que dominou e por ser considerado o "dono" de grande parte da Europa.

Carlos V do Sacro Império Romano Germânico, de 1520 a 1558, ou Carlos I de Espanha, entre 1516 e 1556, esteve à frente do império inaugurado por Carlos Magno no século IX e também pelos poderosos reinos de Castela, Aragão e Navarra

Foi neto materno dos Reis Católicos, dos quais herdou a coroa espanhola, já do lado paterno foi neto de outros personagens influentes, como Maximiliano I de Habsburgo e Maria de Borgonha, que lhe concederam autoridade no Sacro Império Romano Germânico e nas posses borgonhesas, respectivamente.

Pertenceu à poderosa dinastia dos Habsburgos, entre 1438 e 1740, e dirigiu os destinos do Império Romano Germânico. Ocupou também a maior posição na Espanha entre os séculos XVI e XVIII e em seguida no Império Austro-Húngaro.

Nasceu na cidade belga de Gante, no ano de 1500, filho de Joana I da Espanha, apelidada de “Joana, a louca” por sua suposta demência, e de Felipe I, o belo.

Seu pai morreu quando tinha apenas seis anos, isso fez com que sua mãe ficasse louca, e a pedido de seu avô, o rei Fernando, o católico, fosse retirada da sucessão.

A prisão por demência de sua mãe fez com que ele se tornasse o rei em exercício, inclusive, teve o cuidado de manter-se à distância e no enterro de sua mãe passou formalmente a herdar o trono da Espanha.

Foi educado nos Países Baixos sob a supervisão de quem se tornaria o Papa Adriano VI.

Esta situação foi a razão pela qual não ser aceito inicialmente pelo povo espanhol, sendo considerado um estrangeiro por ter nascido e sido criado fora do país.

Foi um forte defensor do Cristianismo e da supremacia desta crença no mundo ocidental, sendo enfrentado pelos seguidores da Reforma Protestante e do Império Otomano.

Mas, sem dúvida, a rivalidade que manteve com o monarca francês Francisco I foi a mais longa, emblemática e virulenta que enfrentou

Ambos eram contemporâneos, o francês nasceu anos antes de Carlos e faleceu quase dez anos antes também.

Francisco também aspirava à coroa espanhola e isso determinou um confronto que só terminou com sua morte.

Por outro lado, Carlos lhe enfrentou porque o mesmo havia dominado a região de Borgonha.

Nenhum dos dois conseguiu nada, mas se encontraram em várias batalhas entre 1521 e 1544, inclusive, Carlos o manteve prisioneiro e em seguida seus filhos

Esteve casado com Isabel de Portugal, filha do rei Manuel I de Portugal, com quem mantinha um laço de parentesco, pois ela também era neta dos reis católicos.

Isabel desempenhou um papel importante no governo em terras espanholas enquanto seu marido viajava.

O casal teve cinco filhos, entre eles o futuro rei Felipe II da Espanha.

A rainha e imperatriz faleceu no ano de 1539, durante o que seria seu último parto.

Por sua vez, Carlos estava muito doente e cansado de guerrear em tantas batalhas, assim decidiu abdicar o trono espanhol em 1556 a favor de seu filho Filipe, e ao Sacro Império Romano Germânico a favor de seu irmão Fernando I, em 1558, ano em que faleceu.

> Proximo >>>

Buscador