Biografia de Camille Corot

Desconhecido por muitos, Camille Corot é talvez um dos pintores mais importantes do século XIX por consolidar o gênero paisagista de forma profissional, um gênero que até o momento se encontrava subestimado pelos cânones acadêmicos. Este significativo artista francês é, para muitos, um dos inspiradores mais relevantes para os primeiros impressionistas que, por sua vez, revolucionariam para sempre a pintura ocidental.

Uma paixão desconhecida em uma época sempre de mudanças

Camille Corot nasceu com o nome oficial de Jean Baptiste Camille Corot, no ano de 1796, na cidade de Paris. Seu nascimento ocorreu apenas alguns anos depois da famosa e importante Revolução Francesa, da qual marcaria para sempre a vida deste grande pintor, já que nos próximos anos ocorreria uma profunda mudança no cenário artístico e pictórico.

Pertencente a uma família de bom poder aquisitivo e nível social, Camille recebeu uma educação privilegiada, mas nunca conseguiu despertar o interesse em nenhuma das disciplinas estudadas, nem mesmo o desenho.

Camille nunca demonstrou paixão pelo mundo dos negócios, o que significaria uma tristeza para seus pais que apesar de tudo decidiram aceitar suas primeiras experiências no mundo artístico aos vinte e seis anos de idade. O mundo parisiense e a facilidade de Camille em estabelecer laços de amizade com outros artistas facilitaram seu caminho. Sua estável situação financeira lhe permitiu dedicar a esta tarefa sem ser incitado pela necessidade de vender suas obras para sobreviver. Por este motivo, pôde especializar-se em um gênero de pintura que até então não era bem visto: paisagismo.

O desejo de pertencer e a luta pessoal para criar sua própria identidade

Na década de 1820, Corot fez uma importante viagem à Itália que lhe serviu para consolidar seus traços e o entusiasmo por observar áreas rurais despojadas e distantes da cidade. As inúmeras criações de pinturas nesse período lhe gerou como resultado certo prestígio no mundo artístico, da qual queria muito pertencer. No entanto, até o momento, o Salão de Paris (espaço oficial de exposições) não levava em conta o paisagismo como um gênero válido para ser exibido em suas paredes, por este motivo, Corot teve que esperar vários anos para que suas obras fossem finalmente reconhecidas.

Suas pinturas foram caracterizadas por representar áreas bucólicas em planícies próximas a córregos, com uma interessante presença de arquitetura em ruínas ou de uma imponente estrutura. Nos anos de esplendor de seu trabalho, suas pinturas do mundo rural do interior francês foram particularmente reconhecidas através de uma paleta de cores pálidas e com cenas de certa inocência.

Por volta da década de 1840, Corot recebeu o apoio do próprio Baudelaire, que o descreveu como um dos líderes da escola de paisagismo

Seu interesse permanente por este tipo de pintura lhe tornou uma referência para os artistas mais jovens, entre muitos que fundaram a escola conhecida como Impressionismo.

Corot faleceu no ano 1875 aos 78 anos de idade, sendo na época um privilégio para poucos. Embora o reconhecimento final tenha surgido nos últimos anos de sua carreira, Corot desfrutou por muito tempo um excelente relacionamento com seus pais, significando seu estúdio um ponto de encontro para muitos amigos e futuros artistas.

Arte Fotolia: Morphart

> Proximo >>>

Buscador