Biografia de Bill Gates

Se pararmos qualquer pessoa de forma aleatória na rua e pedirmos para ela nos dar o nome dos empresários relacionados ao setor de tecnologia que mais vem a sua cabeça, muito possivelmente dois nomes se destacariam em relação aos demais: Steve Jobs e Bill Gates.

Um, o factótum da Apple, reconhecido internacionalmente como um gênio da criatividade, mas e o outro? Este, o cofundador da Microsoft e um dos homens mais ricos e poderosos da Terra. Mas, quem é exatamente Bill Gates?

William Henry Gates III, conhecido popularmente pelo diminutivo de seu primeiro nome, Bill Gates, nasceu em 28 de outubro de 1955 em Seattle, estado de Washington, Estados Unidos, no seio de uma família abastada.

Seu pai era advogado, enquanto sua mãe tinha um cargo no conselho diretivo de uma pequena entidade bancária.

A posição familiar e as conexões de seus pais permitiram a Bill abrir seu caminho em mais de uma ocasião. Eles lhe deram uma educação cuidadosa, cultivando nele e em seus irmãos o gosto por competir e ganhar, o que mais tarde faria de Gates um "tubarão" dos negócios, apesar do desejo de seus pais anteriormente em seguir na carreira de advocacia.

O primeiro contato de Gates com um computador foi na escola Lakeside, em 1968

Era, obviamente, uma máquina muito primitiva em comparação com a que desfrutamos hoje, mas foi suficiente para despertar algo no interior do jovem Bill, que conseguiu ser dispensado das aulas de matemática para poder trabalhar em um projeto de programação em BASIC, da qual idealizou para esse computador.

O inquieto Bill Gates logo começou a dominar a máquina a tal ponto que foi expulso do grupo de usuários de computadores após ser descoberto hackeando o sistema junto com outros estudantes para obter mais tempo do uso da máquina.

Um de seus colegas expulsos foi Paul Allen, com quem posteriormente fundaria a Microsoft.

Em 1970, Gates, Allen e os demais expulsos realizariam seu primeiro trabalho profissional como informáticos: um programa em COBOL para a gestão de folha de pagamentos

Seu excelente desempenho na escola e no instituto (Bill Gates tem uma inteligência excepcional) o levou entrar na Harvard, um dos centros educacionais superiores mais famosos dos Estados Unidos e do mundo, mesmo sem Gates estar graduado.

Em Harvard, conheceu outro dos cofundadores da Microsoft: Steve Ballmer.

Em 1975, Gates dirigiu junto de seus colegas na recém-fundada Microsoft, uma jogada que se repetiria anos depois: vender humor para uma grande empresa.

A MITS era uma companhia que fabricava o computador pessoal Altair. Gates entrou em contato com a mesma dizendo que sua empresa – a Microsoft - estava escrevendo um intérprete da BASIC para esta máquina.

Na verdade, não estavam escrevendo, nem sequer tinham um exemplar do computador para seu desenvolvimento

Uma vez na MITS manifestaram o desejo de ver o que estavam fazendo, assim desenvolveram um emulador do Altair e sobre ele um intérprete do BASIC. A MITS chegou a interessar-se pelo produto e entrou em acordo com a Microsoft para distribuí-lo.

Gates mostrou que era muito inteligente para os negócios. Não seria a última vez.

Foi também durante esta época que descobriu com espanto que seu BASIC estava sendo pirateado para o Altair. Esta experiência fez com que reagisse com raiva e marcou sua futura luta contra a pirataria de software, na qual a Microsoft se destacou.

A jogada do Altair saiu tão bem que a Microsoft atraiu a atenção de outra empresa: a IBM. Com esta daria a grande sacada de sua vida: vender um sistema operacional DOS, mas que também podia ser vendido a terceiros.

A história é extremamente conhecida e acaba com uma série de fabricantes de computadores produzindo clones do hardware do primeiro IBM PC que, para ser totalmente compatíveis, apenas necessitavam utilizar o mesmo software. E este não era diferente que o sistema operacional MS-DOS da Microsoft.

Aí Gates demonstrou um talento visionário sem comparação que mais tarde seria ofuscado por declarações como "640 Kb serão suficientes durante muito tempo"

Com domínio mundial no cenário da microinformática de consumo que a Microsoft conseguiu primeiro com o MS-DOS e em seguida com o Windows, Gates demonstrou seu espírito competitivo e seus dotes de "tubarão" para os negócios.

Diziam que ele era o único que podia pacificar a raiva de Steve Jobs, que sabia como poucos falar com ele e apaziguar seu enfurecimento. Isto demonstra que sabe ler as situações e dirigir-se às pessoas para "seduzi-las".

Não possui a aura carismática de Jobs, que desconcertava seu interlocutor, mas exerce o dom da empatia com um ponto de superioridade autoritário que impõe.

Uma das poucas vezes que perdeu sua capacidade persuasiva foi num depoimento, em 1998, durante o julgamento de práticas abusivas realizadas por sua empresa no mercado

Naquele comparecimento, Gates estava nervoso - a ponto de alguns descreverem sua intervenção de "perda de papéis" – hesitante e agressivo, inclusive algumas pessoas acham que ele estava debochando do juiz, do júri, dos consumidores e da concorrência.

Em 1985 a Microsoft lançou o Windows 1.0, uma interface gráfica para o MS-DOS ao estilo do MacOs (mais tarde chamado Classic), a parte assinou com a IBM para desenvolver o OS/2, um sistema operacional profissional mais versátil com o qual pretendia substituir o binômio DOS+Windows.

Fica a dúvida se Bill Gates já havia entrado em acordo com a IBM sabendo que a deixaria mais cedo ou menos tarde levando sua experiência e visão para criar sua própria alternativa, outra hipótese é que saiu de forma espontânea.

Na verdade, até 1990, as versões do sistema foram lançadas conjuntamente e a partir desse ano seguiram caminhos separados.

O OS/2 serviu de fundamento para o Windows NT que, por sua vez, acabou sendo a base da Microsoft para construir o Windows XP e seu domínio absoluto no segmento da microinformática.

Gates tinha tudo calculado? Sendo julgado pelo caráter vencedor de seus pais, isso não seria de se estranhar. A verdade é que esta jogada saiu assim

Em 1º de janeiro de 1994, Gates se casou com Melinda French (que mudou seu sobrenome pelo de seu marido, sendo conhecida publicamente como Melinda Gates).

Melinda era uma funcionária da Microsoft quando sua vida se cruzou com a de Gates. Embora sua história pessoal não seja pública, ela explica que Gates estava procurando uma esposa com alta expectativa intelectual, o que fazia Melinda cumprir com o propósito. O casal tem três filhos.

Em junho de 2006, Gates foi anunciando aos poucos que deixaria seus deveres e responsabilidades a frente da Microsoft, passando o bastão para um amigo e colega de trabalho desde o início da empresa: Steve Ballmer.

Reservou-se assim assumindo um papel preponderante como consultor tecnológico e supervisor, embora começasse dedicar seu tempo a um trabalho filantrópico através da fundação que leva seu nome e de sua esposa.

Gates é um dos maiores benfeitores particulares e procura utilizar a tecnologia em seus projetos, como nos sanitários químicos para regiões mais necessitadas que não contam com serviço de encanamento (apresentado em outubro de 2018).

Há muito tempo, desde que a Microsoft estava apenas consolidando seu domínio no panorama microinformático e Gates já era multimilionário, deixou claro sua intenção de deixar a maior parte de sua fortuna para a filantropia.

Como curiosidade, a fortuna de Bill Gates o levou em várias ocasiões a ocupar a posição número 1 no ranking das pessoas mais ricas do mundo, trocando de lugar com o investidor Warren Buffett (com quem mantém uma relação de amizade) e com o empresário mexicano Carlos Slim.

> Proximo >>>

Buscador