História de Ártemis

Na mitologia grega Ártemis é a deusa da caça. Paralelamente, representa a virgindade da mulher, uma ideia que marcou a história da condição feminina. Por último, sua história está associada à vingança.

Ártemis, Diana para os romanos, era a deusa da caça, protetora das crianças e patrona dos partos. Seus pais foram Zeus e Leto e teve como irmão gêmeo o deus Apolo. Ártemis pediu a seu pai que lhe desse a virgindade eterna e a beleza permanente da juventude. Estava sempre rodeada de ninfas, das quais eram obrigadas a permanecer virgens.

Uma deusa vingativa

Agamenon, líder das tropas gregas contra os troianos, certa dia, caçou um veado e disse a si mesmo que a deusa Ártemis não poderia fazer melhor que ele. Quando a deusa soube da arrogância de Agamenon lhe enviou um castigo e fez com que sua frota de barcos fosse incapaz de avançar devido à ausência de ventos.

A ira de Ártemis se acalmou quando Agamenon sacrificou sua filha Ifigénia. Depois que Ifigénia foi jogada em um precipício, os ventos voltaram e a frota de Agamenon foi capaz de continuar sua rota.

O deus Alfeu, filho de Tétis, se apaixonou por Ártemis. A deusa fugiu de Alfeu, mas este a perseguiu por toda a Grécia em busca do seu amor. Cansada de fugir, escondeu-se em uma caverna com algumas ninfas. Ártemis e as ninfas cobriram seus rostos com barro e quando Alfeu as encontrou não pôde reconhecer sua amada.

Em certa ocasião, Zeus seduziu Calisto, uma das ninfas que acompanhava Ártemis

Quando a deusa descobriu que Calisto estava grávida se irritou profundamente e a transformou em um urso. Zeus sentiu compaixão de Calisto e a transformou em uma constelação.

Um dia, o jovem Acteon encontrou Ártemis nua tomando banho em um lago. Quando ela tomou conhecimento de sua presença o transformou em um veado, sendo este morto por uma matilha de cães.

A princesa Cometo vivia no reino de Patras e se apaixonou pelo jovem Melanipo, mas seus pais se opuseram a esta união e os jovens se viam em segredo no santuário de Ártemis. Quando a deusa soube o que estava acontecendo em seu templo decidiu enviar uma epidemia ao reino de Patras. Para amenizar a ira de Ártemis, os deuses decidiram sacrificar as vidas de Cometo e Melanipo, consequentemente puderam acabar com a epidemia. Como Ártemis não estava totalmente satisfeita com sua vingança fez com que os jovens mais bonitos de Patras fossem sacrificados todos os anos.

Duas interpretações do mito

Para os especialistas das histórias mitológicas da Grécia Antiga, a deusa Artemisa se refere a uma época da humanidade onde havia um matriarcado.

De outra perspectiva, Artemisa simboliza a mulher independente que não deixa ser dominada pelos homens. Neste sentido, deve-se destacar que a deusa Artemisa era também a protetora das amazonas, mulheres guerreiras que se relacionavam apenas com os homens para ter filhos (se nascesse um homem era entregue ao pai e se fosse uma mulher era incorporada ao clã das amazonas).

Imagem: Fotolia. chrisdorney

> Proximo >>>

Buscador